Inovação

Como aumentar a capacitação da equipe (sem comprometer o orçamento)

Wittel
Escrito por Wittel

É incontestável que a capacitação da equipe é fundamental para colher bons resultados, mas os custos — quase sempre muito elevados — são verdadeiros dilemas para os gestores.

Desenvolver um ciclo de aprendizado contínuo — para cada nível do organograma — solidifica a cultura da marca e perpetua as estratégias da empresa, além de evitar erros operacionais e performances ruins das equipes.

Então, como resolver esse dilema e manter funcionários qualificados obtendo bons resultados sem comprometer o orçamento?

No post de hoje abordamos reflexões sobre treinamentos de funcionários e quais são as soluções mais inovadoras. Acompanhe.

Faça um mapeamento do conhecimento

Um estudo detalhado do conhecimento dos colaboradores pode levar tempo. No entanto, um bom planejamento promove uma grande economia no orçamento da área de treinamento e desenvolvimento.

Grandes organizações possuem setores e demandas técnicas diferentes. Em um banco privado, por exemplo, funcionários da área comercial das agências precisam regularmente renovar certificados de proficiência do mercado financeiro.

Tal mapeamento permite identificar quais são os conteúdos mais relevantes para cada setor, acompanhar renovações de certificados ou licenças e também conferir o período e as localidades que estão com uma maior demanda de treinamentos.

Adicionalmente, o estudo favorece a identificação de possíveis mentores e talentos, criando referências profissionais em cada base de atuação.

Invista na virtualização dos treinamentos

Com o mapeamento e a criação do calendário de treinamentos, as corporações com franquias — ou filiais pulverizadas territorialmente — precisam lidar com outro desafio: ter escalabilidade na capacitação.

A escolha de soluções online para essa demanda é a mais inteligente e econômica. Confira algumas opções disponíveis:

Universidade corporativa

A criação de uma Universidade Corporativa (UC) não é algo novo. Em 1962 a rede McDonald’s já havia fundado sua Universidade do Hambúrguer, por exemplo.

Conceitualmente, a UC é a estrutura educacional de uma organização que visa à implementação integral de suas estratégias e padrões de qualidade, e inclui entre suas matérias de desenvolvimento os relacionamentos humanos, liderança, tecnologias, comunicação e melhores práticas.

O público-alvo inclui todos os funcionários da empresa, parceiros e até mesmo os clientes, que, quando bem informados, podem fazer aquisições mais conscientes.

Como exemplo, podemos citar uma franquia de cosméticos. Além de educar cada vendedora das lojas espalhadas pelo país, a Universidade Corporativa pode oferecer conteúdos com orientações de uso dos produtos e tendências para os clientes.

Essa estratégia facilita a condução da experiência do cliente e reforça a imagem de autoridade da marca.

Pode ser integrada a um centro de treinamento físico, mas, como seu objetivo é atingir todos os colaboradores da empresa, o ambiente virtual é o mais apropriado.

Plataformas educativas

Se a escalabilidade dos treinamentos era um desafio para grandes empresas, as plataformas educativas solucionaram esse problema.

Lançar treinamentos em uma plataforma online permite que todos os funcionários tenham acesso ao conhecimento de forma simultânea — e de qualquer local.

Como resultado, o impacto em escalas pode ser muito menor, assim como os custos com deslocamento e hospedagem de funcionários e instrutores.

Garantindo o respeito à carga horária dos colaboradores, os treinamentos podem ser realizados nas primeiras horas da jornada ao longo da semana e com material de apoio muito mais dinâmico e inovador.

Vídeos de entrevistas e aulas expositivas com animações são alguns dos formatos possíveis para a capacitação da equipe, e que diferem positivamente dos modelos tradicionais.

Utilizando a gamificação no conteúdo, testes e pontuações podem servir para conquistar o engajamento nos treinamentos, além de dashboards individuais que auxiliarão no acompanhamento do progresso de cada funcionário.

Para sacramentar o processo de aprendizagem, as plataformas e as Universidades Corporativas também podem oferecer um ambiente controlado para testes e simulações.

Simulações em Realidade Virtual

Simular cenários típicos da rotina em um ambiente virtual permite que os profissionais testem seus conhecimentos antes de atuarem diretamente com os clientes — diminuindo a incidência de falhas.

As simulações técnicas são muito comuns e possibilitam a utilização das ferramentas sem impactos reais ao negócio. Por meio delas, é possível também vislumbrar situações críticas, estudando as melhores saídas e procedimentos para esses casos.  

Para setores mais estratégicos, cases podem ser levados para as plataformas de conhecimento indicando as diferentes consequências em cada tomada de decisão escolhida na simulação.

Os testes também podem ser feitos para grupos validando a eficiência do trabalho em equipe.

Crie estratégias para a capacitação da equipe

Analisando estrategicamente, as áreas gerenciais concentram o maior volume de conhecimento — e os investimentos em capacitação nesses setores tendem a ter um custo maior.

Por isso, é importante controlar a rotatividade dessas áreas com programas e benefícios que atendam aos interesses dos profissionais. Veja alguns exemplos:

Programas de mentoria

Um programa de mentoria tem grande aceitação por jovens talentos e executivos seniores, pois promove uma troca de conhecimento valiosa entre eles.

Além de não representar um custo considerável, a prática de mentoria auxilia na retenção do conhecimento na organização — impedindo maiores impactos na qualidade por causa de eventuais desligamentos de profissionais mais experientes.

Rodízio entre áreas

Permitir que funcionários conheçam a rotina de outros setores favorece o bom andamento dos processos internos.

Geralmente, quando há um problema entre setores que se desconhecem, uma prática comum é atribuir as falhas e atrasos ao outro departamento.

Promovendo o rodízio, as trocas de acusações diminuirão consideravelmente — e a sugestão de melhorias será fomentada.

É preciso ressaltar também que, após implantar os rodízios entre setores e cargos, as eventuais ausências serão menos impactantes para a rotina de trabalho.

Mensure resultados individuais e globais

Como todo processo de aprendizagem, a capacitação da equipe deve ter metas a serem alcançadas — e sistemas de medição da absorção do conteúdo.

A mensuração dos resultados é de suma importância, pois, como mencionado no início desse post, a capacitação é um meio de conquista da aderência à cultura e estratégias da organização.

Uma empresa de franquias precisa zelar pela isonomia do atendimento nas lojas terceirizadas e demais canais. Mesmo que a relação de trabalho não seja sua responsabilidade, a imagem da empresa faz parte de seu capital e, por isso, deve ser preservada.

Ao adotar uma Universidade Corporativa, por exemplo, é possível criar metas mínimas para cada loja franqueada — e também para cada um dos seus funcionários, por exemplo.

O aproveitamento dos treinamentos será percebido posteriormente, na prática, e será o início de um novo ciclo de treinamentos com a apuração das novas necessidades de desenvolvimento da equipe.

Medidas como essas diminuem os custos com desenvolvimento dos colaboradores, pois tornam o processo de aprendizagem acessível, escalável e mais envolvente — além de oferecer o conteúdo em sintonia com as linguagens atuais.

O cuidado com a capacitação da equipe também é um benefício reconhecido pelos profissionais que atuam no mercado. Quando bem planejada, pode ser considerada uma ótima forma de reter talentos e diminuir a rotatividade, contribuindo mais uma vez para a redução de custos.

Se você gostou das sugestões, compartilhe este artigo em suas redes sociais e divida o conhecimento com os seus colaboradores.

Sobre o autor

Wittel

Wittel

Comemorando 25 anos de experiência, a Wittel integra as necessidades das empresas com ferramentas de comunicação disponíveis no mercado. Tudo isso por meio de soluções que auxiliam nas interações internas (entre colaboradores) e com seus clientes, tornando o dia a dia mais produtivo. Oferece soluções de conferências e colaboração, contact center, trading floor, além de todas as aplicações voltadas ao processo de qualidade e eficiência no atendimento, tanto no modelo OnPremise como também na nuvem.

Deixar comentário.

Share This